Bem Vindos!

Bem Vindos!
UFOLÓGICO / ASTRONÔMICO/ CIENTÍFICO

domingo, 27 de dezembro de 2015

OS FARAÓS DO EGITO ANTIGO ERAM HÍBRIDOS ALIENÍGENAS, SUGERE NOVO ESTUDO GENÉTICO.

Um novo estudo genético sugere que uma linhagem de faraós egípcios foi sujeita a manipulação genética por uma civilização tecnologicamente avançada. Alguns chamariam este fato de prova definitiva de que os construtores das pirâmides tinham uma forte conexão com seres de outros lugares do Universo.
Stuart Fleischmann, Professor Assistente da Comparative Genomics, na Universidade do Cairo, e sua equipe, recentemente publicaram os resultados de um estudo de 7 anos que mapeou os genomas de 9 faraós egípcios. Se for provado como correta, esta descoberta poderá potencialmente mudar os livros de história.
Fleischmann e sua equipe sujeitaram preciosas amostras de DNA antigo a um processo chamado de Polymerse Chain Reaction (PCR). No campo da biologia molecular, esta técnica é muitas vezes utilizada para replicar e amplificar uma única cópia de um pedaço de DNA, dando aos pesquisadores uma imagem clara das impressões digitais genéticas de uma pessoa.
Oito de nove amostras retornaram resultados interessantes, porém típicos. A nona amostra pertenceu a Akhenaten, o enigmático faraó do 14º século AC, e pai de Tutancamon. Um pequeno fragmento de tecido de cérebro foi a fonte da amostra de DNA e o teste foi repetido usando tecido ósseo. Os mesmos resultados foram obtidos.
Um dos ‘culpados’ foi um gene chamado CXPAC-5, que é responsável pelo crescimento do córtex.
Parece que esta atividade aumentada no genoma de Akhenaten poderia sugerir que ele tinha uma capacidade craniana maior, devido à necessidade de abrigar um córtex maior. Mas que mutação causaria o crescimento de um cérebro humano? Ainda temos que descobrir tal técnica, apesar dos anos de avanços na genética.
Poderia esta evidência de 3.300 anos apontar para a manipulação genética na antiguidade? Foi este trabalho realizado por seres extraterrestres avançados? Seria a mitologia do antigo Egito mais do que uma coletânea de contos alegóricos? O Professor Fleischmann explica:
” A Telomerase [uma enzima genética] somente é despendida por dois processos: envelhecimento extremo e mutação extrema. A genética e os dados arqueológicos sugerem que Akhenaten viveu até os 45 anos de idade. Isto não é nem de perto o suficiente para consumir toda a telomerase do cromosomo, deixando assim somente uma explicação inconveniente, mas possível.
Esta hipótese também é apoiada pelo fato de que uma análise por microscópio eletrônico revelou sinais de cicatriz no nucletídeo, que é um sinal indicador de cura da espiral do DNA após ter sido exposta a fortes mutações.”
Estaria este fato sugerindo que Akhenaten, um dos faraós mais misteriosos do antigo Egito, passou por uma modificação genética durante sua vida? Esta alegação apoia a teoria de que os alienígenas antigos uma vez visitaram a civilização que vivia ao longo do rio Nilo.
Uma outra evidência interessante fornece apoio à esta hipótese. A imagem abaixo mostra duas fotos de tecido ósseo, feitas por microscópio, obtidas do crânio de Akhenaten e de uma múmia diferente da mesma idade.
O tecido ósseo à esquerda e muito mais denso e fundamentalmente diferente em escala nanoscópica. Poderia este aumento de resistência dos ossos cranianos ser um indicador de um aumentado desenvolvimento do cérebro?
“Esta é uma descoberta no mínimo excitante“, disse Felischmann à imprensa. “Minha equipe e eu submetemos os documentos para revisão de colegas e fizemos e refizemos os testes um número suficiente de vezes, que estamos confiantes que são precisos. Não sei a respeito de todas as implicações de nossas descobertas, mas certamente acredito que elas devem pelo menos apontar a comunidade científica numa direção que seria imediatamente descartada há somente algumas décadas.”
Se este estudo estiver correto, ele irá disparar uma mudança de paradigma sem precedentes. Se alienígenas estiveram ativamente envolvidos na vida dos indivíduos mais poderosos há milhares de anos, isto significa que irão retornar? Ou talvez eles nunca partiram.
Mas o aspecto mais importante seria a existência de indivíduos, descendentes diretos da linhagem real do antigo Egito, que ainda possuem os genes alienígenas implantados nos genomas de seus ancestrais.
Fonte: locklip.com

sábado, 12 de dezembro de 2015

As Luzes de Min Min e (Luzes Fantasmas)

Neste artigo temos dois exemplos de incidências que pode nos dizer que estão vinculadas aos OVNIs, não podendo haver outra explicação para tais fenômenos terem acontecido. A região Amazônica é rica com lendas sobre luzes vistas por nativos.

Leia:

Durante mais de um século, um fantástico fenômeno luminoso atormentou o remoto povoado a leste de Boulia, na região sudoeste de Queensland, Austrália. As luzes receberam o nome de Min Min, homenagem a um correio-bar chamado Min Min, há muito desaparecido.

Um dos primeiros relatos escritos, publicado em março de 1941, fala sobre um criador de gado que viajava entre Boulia e Warenda Station, em uma noite encoberta de nuvens.

Por volta de 22 horas, quando passava em frente ao antigo cemitério, próximo ao que restou do correio-bar Min Min, ele viu um estranho brilho que emanava do meio das sepulturas. A luz aumentou e ficou do tamanho de uma melancia, pairou momentaneamente sobre as tumbas, e então afastou-se dali, seguindo em direção a Boulia. De acordo com o homem, a luz o seguiu durante todo o percurso, até a cidade.

Relatos anteriores foram descobertos subseqüentemente. Em Walkabout, Henry Lamond relatou sua própria experiência de infância com as luzes de Min Min em 1912. A princípio, ele pensou que fossem os faróis de um automóvel que se aproximava.

Os carros”, escreveu ele, “embora não fossem comuns naquela época, também não eram raros.” Mas logo tornou-se evidente que não se tratava de uma luz normal.

Ela permaneceu como uma bola única, e não se dividiu em dois faróis, como seria de esperar. Além disso, vinha em uma altura muito grande para ser um carro. Havia alguma coisa estranha com aquela luz.

A luz flutuou gradativamente em direção a Lamond, que estava montado em seu cavalo, e passou por ele, a uns 200 metros de distância.

De repente, ela desapareceu, mas não de uma hora para outra. Seu desaparecimento foi gradual, como os fios de uma lâmpada elétrica.

As luzes de Min Min - sejam o que forem - ainda assustam as pessoas que viajam ao longo de trechos solitários de estrada, no interior australiano.

Luzes Fantasmas

Os galeses as chamavam de “velas de cadáveres”, e associavam os fantasmagóricos glóbulos de luzes dançantes com uma morte iminente. Elas também já foram chamadas de luzes fantasmas e fogo-fátuo.

Em seu livro, British Goblins, Wirt Sikes, ex-cônsul dos EUA no País de Gales, recolheu diversos relatos de testemunhas sobre essas luzes misteriosas, inclusive um em que os passageiros de um ônibus entre Llandilo e Carmathen viram três luzes pálidas, quando cruzavam uma ponte sobre um rio em Golden Grove. Três homens morreram afogados no mesmo lugar, poucos dias depois, quando seu pequeno barco soçobrou.

John Aubrey, autor de Miscellanies, contou a história de uma mulher que afirmou ter visto cinco luzes pairando na sala recentemente pintada da casa onde trabalhava.

Ela disse que foi aceso um fogo para secar as paredes, e cinco outros trabalhadores morreram em conseqüência da fumaça.

Outras histórias sobre luzes fantasmas podem ser encontradas na coleção enciclopédica Lightning, Auroras and Nocturnal Lights, de Corliss. Uma história particularmente assustadora é contada por um homem de Lincoln, Inglaterra, que passeava com seu cavalo na primavera de 1913.

- Durante meu passeio - disse ele -, um fogo-fátuo chamou minha atenção, seguindo na mesma direção para onde eu estava indo. Seu movimento era irregular, às vezes perto da superfície, e então, de repente, ele se elevou a uma altura de quase 2 metros. - Segui a luz com todo cuidado durante uma certa distância, pois eu estava decidido a, se possível, inspecionar melhor aquele meu guia luminoso. Como a noite estava muito escura, eu tinha todas as condições favoráveis para minha observação.

A distância, a luz fez uma manobra e parou no meio da estrada. Desmontei, na esperança de capturá-la. Mas fiquei decepcionado. Pois à minha aproximação, talvez pelo barulho que fiz, ou por algum outro motivo, ela de repente se levantou, permaneceu a uns 60 centímetros de altura do solo, iluminou um aterro, e prosseguiu seu curso em linha reta sobre os campos contíguos. Os grandes e profundos diques impossibilitaram minha perseguição. Mas meus olhos seguiram seu movimento constante até seu brilho se perder com a distância.

Para saber mais sobre as luzes no País de Gales, acesse o link abaixo:



terça-feira, 8 de dezembro de 2015

A FÁBRICA DE DISCOS VOADORES.

Durante anos os militares; não só americanos, mas outros militares estiveram envolvidos em projetos secretos do alto escalão, afim de desenvolverem máquinas, que pudessem assemelhar-se aos Discos Voadores na época que sobrevoavam  o mundo.

E que ainda continua sobrevoando e demonstrando todo o potencial de sua tecnologia.

Foram tantos os projetos e tentativas dos governos - que até fica difícil de sabermos: se obtiveram êxito nestes desenvolvimento - através de engenharia reversa realizada em naves acidentes pelo mundo. É difícil de conhecermos a verdade, porque o “manto que cobre” tais projetos é muito seguro e sigiloso - de tão dificultado que é seu acesso aos demais - pois pouca coisa sai a luz...

Os projetos concebidos sob a direção do Majestic 12 eram, entre outras, os seguintes:

1 - O projeto MAJI (Majority Ageiuy for Joint Intelilgence): esse serviço reuniu todas as informações concernentes aos serviços secretos. MAJIC significa controlado por MAJI. Todas as informações e desinformações a propósito dos OVNIS e dos extraterrestres são exploradas por MAJI em colaboração com a CIA, a NSA, o DIA (serviço de informações da defesa do país) e o Naval Intelligence (serviço secreto da marinha); o projeto SIGN tinha o estudo dos fenômenos OVNIS. Mais tarde, esse projeto tomou o nome de projeto GRUDGE (pode ser devido às numerosas partes de corpos humanos que foram encontrados em duas das naves);

2 - o projeto Blue Book: refere-se ao resgate de objetos voadores tombados na terra, e de acordo com o projeto Robertson-Panel, que visa desinformar intencionalmente o público;

3 - o projeto SIGMA: trata da comunicação com a raça de EBE;

4 - o projeto Snowbird: refere-se a tecnologia de objetos voadores extraterrestres para tentar pilotar um desses objetos;

5 - o projeto Aquarius: serve de cobertura para coordenar os programas de pesquisa e de contatos com os extraterrestres;

6 - o projeto GARNET: estuda a influência dos extraterrestres sobre a evolução humana;

7 - o projeto POUNCE: que trata dos despojos das naves espaciais que caíram e dos exames biológicos feitos com os corpos dos passageiros;

8 - o projeto Redlight: que decide sobre os ensaios a serem feitos em vôo com as naves espaciais que foram encontradas ou que foram deixadas à disposição pelos extraterrestres. Esse projeto está mantido, neste momento, no domínio de Área 51/Groom Lake, em Nevada;

9 - o projeto Luna: nome do código para a base extraterrestre na lua que foi observada e filmada pelos astronautas do Apollo. Aí exploram uma mina e guardam as grandes astronaves em formato de charuto;

10 - as Delta Forces: são unidades especialmente formadas para esses projetos.

Segundo a informação de William Cooper e George Segal, a CIA teria sido criada especialmente para dissimular a existência dos extraterrestres. Segundo W. Cooper e G. Segal, o grupo da elite secreta internacional Die Bilderberger, que estudaremos no decorrer deste livro, foi criada também para ocultar os contatos estabelecidos com os extraterrestres. Entretanto só falarei sobre os Bilderberger do ponto de vista político.

O que esperam, pois de nós, os extraterrestres? Por que eles não se dirigem aos dirigentes ou ao presidente de um país? Eles o fizeram! E foram muitos que o fizeram!

A doutrina da oscilação de Shauberger (o princípio da série dos harmônicos = monocórdio) parte do saber sobre a implosão. Digamos mais simplesmente: implosão no lugar de explosão! Por meio das trajetórias de energia do monocórdio e da técnica de implosão penetra-se no domínio da anti-matéria e dissolve-se, assim, a gravidade.

A primeira nave em forma de prato foi construída no verão de 1922; sua propulsão era baseada na técnica de implosão (a máquina para o Além). Ela compreendia um disco de 8m de diâmetro, alteado por um disco paralelo de 6,5m de diâmetro e tendo abaixo outro disco de 6m de diâmetro.

Esses três discos tinham em seu centro um orifício de 1,80m de diâmetro, onde montaram o propulsor de 2,40m de altura. Embaixo, o corpo central terminava em forma de cone. Nesse cone havia uma espécie de pêndulo que tinha por efeito estabilizar o aparelho. Os discos inferior e superior giravam em sentido inverso para criar um campo de rotação eletromagnético.

Não conhecemos o desempenho desse primeiro disco voador. Ele foi experimentado durante dois anos antes de ser desmontado e guardado nas oficinas de Messerschmidt em Augsbourg. Encontramos os auxílios financeiros para esse projeto nas contabilidades de diversas empresas industriais mencionadas sob o código “JFM”. É certo que o mecanismo Vril foi tirado da “máquina para o Além” mas ele foi classificado como “o levitador Schumann SM”.

O que aconteceu com as Naves Espaciais após a Guerra?

Não podemos excluir uma produção de uma pequena série de Haunebu II. As diferentes fotos dos OVNIS que, após 1945, mostram construções tipicamente alemãs dão-nos o que pensar. Alguns dizem que uma parte dos engenhos afundaram no lago Mondsee na Alta Áustria; outros pensam que eles teriam sido enviados para a América do Sul, onde foram transportados em peças desmontadas, o certo é que mesmo que essas peças não tenham chegado à América do Sul, foram aí fabricados com o auxílio de planos de construção de novos aparelhos.

Fizeram com que voassem, e uma parte importante dessa tecnologia foi utilizada em 1983 no programa de "experiência Phoenix" projeto precedido pela "experiência Philadelphia" de 1943. (Tratam-se de experiências de teleportação, de materialização e de viagens no tempo pela Marinha Americana que foram coroadas de êxito, mais do que poderia ser imaginado nos sonhos dos mais temerários. Isto seria matéria para outro livro, e também nos afastaria do assunto que abordamos aqui; ver bibliografia).

Em 1938 houve uma expedição alemã ao antártico, conduzida pelo porta-aviões Schwabenland. Os alemães atribuíram-se 600.000 km quadrados de terreno que eles batizaram Neuschwabenland (Nova Suábia). Era uma região sem neve, com montanhas e lagos. Frotas inteiras de submarinos do tipo 21 e 23 tomaram mais tarde a rota para Neuschwabenland. Até hoje, mais de cem submarinos alemães aí desapareceram.

Eles estavam equipados, entre outras coisas, com tuba Walter, que lhes permitira permanecer várias semanas sob a água. Podemos pensar que eles fugiram para Neuschwabenland com os discos voadores em peças desmontadas ou que eles tenham ao menos, levado os planos de construção. Podemos supor também, pois os ensaios de vôo foram coroados de sucesso, que no fim da guerra os discos voadores foram para lá diretamente.

Essa suposição pode parecer ousada para muitos, mas vários indícios importantes permitem, entretanto, imaginar que isso aconteceu dessa forma.

Podemos então fazer a pergunta: “Por que os aliados invadiram a Antártica sob as ordens do almirante E. Byrd, em 1947?” Se isso fosse somente uma expedição, porque Byrd tinha à sua disposição 4.000 soldados, um navio de guerra, um porta-aviões todo equipado e um completo sistema de abastecimento? Ele dispunha de 8 meses, e no entanto, foi obrigado, já no final de 8 semanas, a interromper tudo, após ter sofrido enormes perdas de aviões. O número exato jamais foi comunicado publicamente. O que aconteceu então?

O almirante Byrd explicou mais tarde para a imprensa: “É duro de compreender, mas no caso de uma nova guerra, será preciso esperar ataques de aviões que podem voar de um pólo ao outro”.

Ele deixou assim transparecer que havia lá do outro lado uma civilização avançada que se servia, de acordo com os SS, de uma tecnologia superior [84].

Em seu livro Zeitmaschinen (Máquinas de Tempo) onde se pergunta, entre outras coisas, o que aconteceu com os Haunebu, Norbert Júnge-Ratthofer escreveu:

Desde maio de 1945, os piões espaciais Haunebu I, II e III e mesmo os Discos Voadores espaciais Vril 1 desapareceram, primeiro sem deixar traços (...).

Nesse contexto, é extremamente interessante saber que o Haunebu III do Reich alemão, após seu 19.º ensaio em vôo, teria fugido voando para Marte, para uma expedição espacial em 20 de abril de 1945, decolando de Neuschwabenland, que era então oficialmente um imenso território do Reich alemão na Antártica oriental.

O que resultou disso, nós não sabemos. Um ano mais tarde, em 1946, numerosos objetos luminosos de origem desconhecida, mas fabricados indubitavelmente de forma artificial, foram vistos acima da Escandinávia e provocaram um grande alarme nos aliados no Oriente e no Ocidente”.

Novamente, um ano mais tarde, em 1947, e até nos anos 50, objetos voadores luminosos surgiram acima da América do Norte em crescente número. Eles eram pilotados, isto é certo, por seres inteligentes, eram freqüentemente redondos, em forma de disco ou de sino, eram também às vezes "objetos voadores não identificados" em forma de charuto, os quais são denominados OVNIS.

Existem autores que dizem que esses OVNIS não se assemelhavam, em regra geral, aos fabricados pelo Reich alemão. Sobre esse ponto minha opinião diverge.

Material fotográfico bem documentado prova que especialmente a versão Haunebu II foi vista, e mesmo com freqüência, desde 1945. Se o leitor estivesse interessado, como eu, desde os 10 anos, no mundo técnico dos OVNIS, poderia verificar que, entre os casos onde houve contatos pessoais com os ocupantes dos OVNIS, existe uma porcentagem particularmente elevada de seres muitos belos da espécie "ariana", loiros com olhos azuis, e que estes falavam ou o alemão corrente ou outra língua com acento alemão (para os informados, mencionamos o caso de Adamski, em 1952, o caso de Cedric Allingham, em 1954, e aquele de Howard Menger, em 1956).

Dizem também que existem fotos coloridas de um disco voador que aterrissou com homens para partir logo em seguida, e sobre o qual estavam desenhadas duas cruzes, uma Balkenkreuz e uma cruz gamada. Essas fotos foram feitas nos anos 70 por um guarda noturno na RDA.

Existe a propósito dos engenhos voadores acima mencionados um bom dossiê de fotos e de filmes, como, por exemplo, a documentação com 6o minutos, UFO Geheimnisse des 3.º Reiches (Segredos dos ovnis do 3.º Reich) (MGA Áustria/Royal Atíantis - Film GmbH). Citamos também o dossiê do americano Vladimir Terziski, que, por ocasião da conferência sobre os OVNIS em setembro de 1991 em Phoenix, no Arizona, projetou diapositivos durante três horas e mostrou as fotos de naves alemãs, de planos de construção e de bases subterrâneas alemãs.

O livro do comandante da aeronáutica italiana Renato Vesco é também muito interessante, assim como aquele de Rudolf Lusar: Die Deutschen Waffen und Geheimwaffen des Zweiten Weltkrieges und ihre WeiterentwickIung (armas alemãs e as armas secretas alemãs da Segunda Guerra Mundial e seu desenvolvimento ulterior) J. F. Lehmanns Verlag, Múnchen, 1971.

Compreendeis agora porque tudo o que se refere aos OVNIS passa pela mistificação na grande mídia, e isso particularmente na Alemanha? Segundo esse plano alemão, o mundo da imprensa e da mídia, que é controlada pelos Illuminati graças ao lobby anglo americano-sionista, está prestes a investir somas enormes para impedir que o cidadão alemão faça investigações nesse domínio.

A pergunta que podemos colocar agora é a seguinte: De onde as sociedades secretas alemãs Thule e Vril conseguiram os conhecimentos indispensáveis para a construção desses engenhos voadores? E de onde lhes vinha o saber concernente ao dom da genética, domínio no qual os alemães estavam igualmente muito avançados em relação às outras nações?

Segundo os dizeres de Herbert G. Dorsey e de outros pesquisadores, eles foram auxiliados não somente pelos contatos telepáticos com os extraterrestres que lhes forneciam planos de construção, mas também pelo estudo da propulsão de uma nave não-terrestre que teria caído intacta na Floresta Negra em 1936. Mas não existe nenhuma prova, praticamente, desse acontecimento, nem testemunhas oculares ainda vivas.

Entretanto, essas provas existem nos EUA, e mesmo em grande número. Na mesma época, os americanos registraram uma série de objetos que se arrebentavam no solo, o que não pode se manter completamente oculto. Falaremos disso mais tarde. Voltemos à política. Durante o tempo que I. G. Farben sustentou Hitler, seu parceiro de cartel, a Standard Ou (Rockefeller) organizava o povo contra os nazistas. Assim também, a Ford Motor Company fabricava armamentos militares para o exército americano, mas produzia, ao mesmo tempo, na Alemanha, veículos militares para os nazistas. Ford e Opel (filial da General Motors que é controlada por J. P. Morgan) eram os dois maiores fabricantes de carros na Alemanha de Hitler.

Não importa qual o vencedor, as multinacionais eram, desde o inicio, vencedoras. É segundo esse mesmo princípio que muitos empreendimentos trabalhavam durante a Segunda Guerra Mundial.

Por que nada disso consta nos livros escolares ou nas enciclopédias? E particularmente na Alemanha, onde reina aparentemente a liberdade da imprensa e onde se ensina a verdade?

Uma das razões é a seguinte:

A fundação Rockefeller distribuiu, em 1946, US$139.000 para que se apresentasse ao público uma versão oficial da Segunda Guerra Mundial que dissimulasse todo o auxílio dos banqueiros americanos para a edificação do regime nazista e que passasse também em silêncio a ideologia mística e oculta desse regime.

Plano dos militares incluiría a construção de discoportos secretos subterrâneos

25/ 12/ 2003 - Notícias de que determinados países teriam desenvolvido projetos para construir discos voadores eram freqüentes na década de 1950. Mesmo em nossos dias, Estados Unidos, União Soviética e Alemanha continuam sendo apontados como países com potencial tecnológico para desenvolver discos voadores que podem realmente voar. O que poucos imaginam é que o Canadá também teria projetado sua própria nave inspirada nos alienígenas.

Foi conhecido numa edição de junho de 1955 da revista norte-americana ‘Look’, onde se noticiava sobre os planos canadenses para construção de um disco voador. A revista citava as pesquisas do engenheiro aeronáutico britânico Thomas Turner, na época com 30 anos. A revista ‘Look’ também mencionou rumores de que uma indústria aeroespacial do Canadá havia projetado um disco voador com tecnologia própria.

A edição de n.º 19 da revista ‘Look’, de 14 de junho de 1955, previa em reportagem especial o surgimento no Canadá, nas décadas seguintes, de verdadeiros ‘discoportos’, especialmente desenvolvidos para pousos e decolagens de discos voadores “100% terrestres”.

Debaixo da Terra - A publicação especulava que os futuros discoportos canadenses iriam funcionar em instalações militares secretas subterrâneas. As estruturas contariam com baías para manutenção e abastecimento das naves, além de alojamentos para centenas de pessoas.

A estrutura seria à prova de bombas e ataques inimigos em geral. Os discos voadores sairiam por uma abertura escondida no alto de uma montanha.

Os motores dos discos voadores canadenses seriam movidos a jato, com turbinas especialmente projetadas e distribuídas pelo corpo da aeronave, numa tecnologia revolucionária.

Para a revista ‘Look’, os boatos sobre esse projeto do Canadá pareciam ser bem fundamentados. Dizia-se até que a fabricação das novas aeronaves ficaria a cargo da empresa de aviação A. V. Roe Ltd, depois de dois anos de pesquisas.

O projeto teria sido encomendado pelo general-brigadeiro Benjamin Kelsey, com custo inicial orçado em 75 milhões de dólares, na época. Os desafios tecnológicos que a A. V. Roe Ltd devia solucionar incluíam:

  1. Capacidade de decolar e pousar verticalmente;
  2. Capacidade de voar a mais de 1.500 Km/h;
  3. Rapidez para ganhar altitude;
  4. Excelente capacidade para manobrar;
  5. Suportar carregar armamento pesado;
  6. Capacidade para voar a até 60 mil pés de altitude;
  7. Dispositivos eletrônicos de última geração para ataque e defesa;
  8. Incluir mini-naves para ataque, em forma de disco, ocupadas por uma única pessoa.

Tanto a fábrica como os militares do Canadá negaram esse projeto e o assunto foi esquecido pela opinião pública.









Fonte: Trecho do Livro As Sociedades Secretas e Seu Poder no Século XX, Autor Jan Van Helsing, e outras contribuições anonimas.

Para ver mais imagens e assistir os vídeos, acesse o site de origem do artigo:http://rodrigoenok.blogspot.com.br/2011/10/fabrica-de-discos-voadores.html?spref=bl


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Nikola Tesla, UFOs, Antigravidade e Aliens



Parece que sempre que alguém fala sobre Tesla ninguém pode ajudar, mas pergunto como é possível para um homem como Tesla passar despercebido pelos livros de história? Quero dizer por que alguém como Tesla literalmente foi apagado da História? Por que é o seu legado foi empurrado para fora da sociedade?
Tesla era um homem à frente de seu tempo, e suas inúmeras invenções são a prova de que este homem era de fato o inventor mais incrível de todos os tempos na Terra. Se não fosse por este homem, coisas como smartphones, rádio, dispositivos de controle remoto, etc … seria algo completamente desconhecido para nós.
Mas uma parte destas invenções “convencionais” de Tesla parecem ter saído diretamente de um script de filme de ficção científica. UFO, Antigravidade e seres alienígenas não eram nada desconhecidos para Tesla que alegou ter contatados seres a partir da Terra, enquanto trabalhava em um de seus projetos.
Meu cérebro é apenas um receptor, no Universo existe um núcleo a partir do qual “nós” obtemos conhecimento, força e inspiração. Eu não penetrei os segredos deste núcleo, mas eu sei que ela existe.- Nikola Tesla
Tesla fez grandes coisas tecnologicas que a maioria dos cientistas hoje não pode sequer imaginar. Ainda em 1928, Tesla registou outra patente: número 1655144: Uma máquina voadora que se assemelhava tanto a um helicóptero como um avião. Antes de sua morte, Tesla tinha desenvolvido os planos para o sistema de propulsão de sua aeronave. Ele o chamou de “SPACE-DRIVE” ou o sistema de propulsão campo anti-eletromagnético. Curiosamente, de acordo com William R. Lyne em “Occult Ether Physics”, em uma conferência que Tesla tinha preparado para o migrante Instituto de Ação em 12 de Maio de 1938, ele falou sobre a Teoria Dinâmica da Gravidade. Tesla tinha descoberto os segredos para criar o veículo perfeito que poderia levar as pessoas para o espaço, era relativamente barato para construir, e tinha um sistema de propulsão que não usam combustível. Tesla tinha descoberto uma maneira de aproveitar a energia ilimitada, que ele alega era localizado em todos os lugares ao nosso redor. Era o nosso trabalho aproveitar essa energia e Tesla sabia como fazê-lo.
“Eu tenho trabalhado por fora em todos os detalhes e espero dar ao mundo muito em breve. Ele explica as causas dessa força e os movimentos dos corpos celestes sob sua influência de modo satisfatório que colocará um ponto final na especulação ociosa e falsas concepções, como a do espaço curvo. Só a existência de uma fusão de força pode explicar os movimentos dos corpos, como observado, e seu pressuposto dispensa curvatura espaço. Toda a literatura sobre o assunto é fútil e destinado ao esquecimento. Assim são todas as tentativas para explicar o funcionamento do universo, sem reconhecer a existência do éter e a função indispensável que desempenha no fenômeno. “
Tesla descobriu que a emissão electrostática da superfície de  de um condutor está sempre em concentrar onde a superfície for curva, ou onde ela tem uma borda. Quanto mais íngreme a curva, ou canto, maior é a concentração de emissão de electrões. Tesla também nota que uma carga electrostática irá fluir através da superfície de um condutor em vez de penetrar no seu interior. Isto é referido como o efeito de Faraday ou efeito de pele descoberto por Michael Faraday.
Isto também explica os princípios da gaiola de Faraday, que é usado em laboratórios de pesquisa de alta tensão para proteger seres humanos e o equipamento electro-sensível contra danos.
De acordo com relatos de OVNIs, o interior destes “veículos” é composto por canais circulares ou colunas que atravessam o centro do ofício. Estes servem, tal como uma superestrutura para o resto do objecto em forma de disco e têm uma alta tensão e uma bobina de alta frequência. Acredita-se ser um transformador de ressonância que dá carga eletrostática e eletromagnética para o ofício e sua polaridade. A bobina dentro da nave é o que nós conhecemos hoje como uma bobina de Tesla inventado por Nikola Tesla em 1891.
Nikola Tesla disse: “Há uma diferença entre o progresso e a tecnologia, os benefícios do progresso da humanidade. A tecnologia não significa necessariamente fazer isso. ”

Alien, Tesla e o primeiro disco voador feito pelo homem.


Uma noite, quando ele estava sozinho no laboratório, Tesla observou o que ele cautelosamente designou como ações elétricas que definitivamente pareciam ser sinais inteligentes. As mudanças foram ocorrendo periodicamente e com uma sugestão tão clara do número e da ordem que eles não poderiam ser originados de qualquer causa conhecidas por ele.
Este incidente foi o primeiro de muitos em que  Tesla tem interceptado e que sentia que eram sinais inteligentes a partir do espaço. Na época, foi imaginado por cientistas proeminentes que  Marte seria um paraíso provável para  a vida inteligente em nosso sistema solar, e no primeiro pensamento de Tesla foi que estes sinais poderiam ser originários do  planetavermelho.
Enquanto em Colorado Springs, Tesla interceptou sinais de rádio estranhos que se espalham através da mídia incrivelmente rápidos. Tesla observou sinais incomuns de seu receptor, Tesla concluiu que esses sinais poderiam realmente ser sinais que tinham origem em algum lugar no espaço. Ele mencionou estes sinais em uma carta ao jornalista  Julian Hawthorne  na Filadélfia norte-americana em 8 de dezembro 1899 e em 1900 carta dezembro sobre possíveis descobertas no novo século, para a Sociedade da Cruz  Vermelha, onde ele se referiu a mensagens “de outro mundo” que leu “1 … 2 … 3 …”.
Mas Tesla não era o único que era capaz de interceptar estes sinais misteriosos. Guglielmo Marconi, 1º Marquês de Marconi era um inventor italiano e engenheiro elétrico, conhecido por seu trabalho pioneiro na transmissão de rádio de longa distância e para o seu desenvolvimento da lei de Marconi e um sistema de telégrafo de rádio. Guglielmo Marconi também interceptou sinais provenientes do espaço poucos anos após Tesla, os investigadores têm afirmado que Tesla e Marconi interceptaram os mesmos sinais.

O Perfeito UFO feito por Tesla


Os métodos utilizados na concepção do disco voador combinava com as descrições daqueles que afirmaram ter visto um dentro de um UFO: com um capacitor discoidal com tamanho suficiente para proporcionar impulso suficiente para voar, enquanto outros capacitores pequenos com permissão para controlar a direção do o disco voador, à qual acrescentou um sistema de estabilização giroscópico e um controle elétrico “drive”. E se tudo isso não for suficiente, Tesla tinha mais; o interior do navio foi equipado com telas planas e câmeras de vídeo externas para os pontos cegos do piloto.
UFO de Tesla tem olhos, e estes foram feitos de lentes de eletro-ópticos, dispostos em quadrantes, permitindo que o piloto veja tudo. Ecrãs e monitores são colocados em um console, onde o navegador pode observar todas as áreas ao redor do veículo, e a incrível invenção de Tesla incluído lentes de aumento, que poderiam ter sido utilizados sem alterar posições. Basicamente, é uma aeronave extremamente bem concebido, que na verdade, poderíamos conseguir construir hoje. Ou será que já construímos? O que aconteceu com esta invenção? Por que não estamos voando para o espaço com uma incrível invenção de Tesla?
Assista o documentário:

O Experimento Tesla O mestre do raios O GÊNIO DA CIÊNCIA

– Sinais de Tesla
Enquanto testava um transmissor que inventou para rastrear tempestades, Nikola Tesla afirmou que recebeu uma transmissão de uma misteriosa fonte desconhecida.
Fonte: https://levantandoveu.wordpress.com/2015/11/23/nikola-tesla-ufos-antigravidade-e-aliens/#more-199

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

FLOR DA VIDA A GEOMETRIA SAGRADA


“A Flor da Vida” é um símbolo secreto criado pela inscrição de 13 círculos. É o modelo mais importante e sagrado do universo. Encontramos este símbolo em várias partes do mundo.


Form é parte integrante de sistemas vivos, a vida, a Natureza-Cosmos. Forma, também, está intimamente ligado com a sua funcionalidade, com a expressão, o serviço ou o papel que ela existe para cumprir.
Exposições de formulário significado.
Nada em sistemas vivos - nenhuma entidade, evento, sistema, processo ou forma - existe sem o que significa que não só serve a sua própria função, mas também de forma coerente, de forma inteligente e cooperativa serve o Todo simultaneamente.
SÍMBOLO
Os símbolos são formas materiais formados ou atos que refletem e contêm informações imaterial. Eles se conectam ao nosso lado direito do cérebro e da mente arquetípica.
________________________________

Esta imagem mostra a forma geométrica do "a flor da vida" dentro que é o símbolo da Árvore de Kabbalah de Duração.


A flor da vida é nomeado para um padrão geométrico flor-como que emerge de forma que se cruza nas relações coerentes. É uma figura composta de vários uniformemente espaçados, círculos sobrepostos e forma uma estrutura simétrica de um hexágono.

O símbolo da flor de vida consiste em sete ou mais círculos sobrepostos, em que o centro de cada círculo está na circunferência de até seis círculos em torno do mesmo diâmetro.

Acima, vemos a Árvore de Kabbalah de Duração ("Etz Hayim" / "Etz Chaim") perfeitamente encaixar dentro de "A Flor". A Árvore da Vida símbolo foi criado para  refletir os 22 vibrações primordiais que formaram o alfabeto hebraico. Assim, som, forma e significado são todos coordenados em um todo coeso. Isso só se refere a "A Árvore" em si: o fato de que ele se encaixa tão perfeitamente dentro "A Flor" reforça algum princípio fundamental e significado fundamental.

O símbolo da flor da vida tem sido utilizado e é evidente em todo inúmeras culturas antigas em todo o mundo.




Acima, a Flor da Vida em desenho no teto do interior do templo de Osíris em Abydos, no Egito.

Devido ao uso diversificado durante todo culturas diferentes, haveria uma aparente compreensão das informações contidas no e transferido por esses símbolos. Dê uma olhada nas imagens abaixo, que seguem uma progressão exemplificando o início da vida. Pode-se dizer que os fundamentos da vida foram entendidas? Além disso, por que tantos povos antigos achar que é necessário para refletir essa compreensão, incorporando a simbologia em obras culturais ou arquitetônicas significativas?



Abaixo está uma imagem de um 64 Tetrahedron Grade, o que reflete-se a flor da vida. O físico Nassim Haramein diz do Tetrahedron: "Esta é possivelmente a única possível geometria fractal tridimensional genuíno e é único no sentido em que naturalmente cria equilíbrio vector em intervalos harmônicos - esta é a geometria do spa ce ... .A 64 tetraedro matriz consiste de terahedrons e octaedros. Um tetraedro é o menor volume geométrico possível e constitui uma forma básica com consumo mínimo de energia vs. estabilidade estrutural óptima ".
Essa idéia de um mínimo de energia e estabilidade, embora diferente, é o reflexo de, como biólogo teórico Brian Goodwin diria, "a liberdade individual máxima e ordem coletiva máxima". Ambos existem; ambos refletem função otimizada; ambos falam à eficácia inerente e "tanto-e" coerência na base de todos os sistemas vivos. Menos esforço e funcionalidade ideal, indivíduo-coletivo: esta é a linguagem da Natureza-Cosmos, da vida.


Haramein diz: "Rumo ao infinitamente grande ou o infinitamente pequeno, a matriz subjacente permanece em equilíbrio estrutural dentro de sua própria escala. A figura abaixo mostra um tetraedro e um tetraedro estrela polarizada, então nós vemos as três primeiras iterações do fractal; o seu tamanho mínimo, sob a forma de cristal a 64 tetraedro, em seguida, 512, Tetrahedron, 1026, em seguida, Tetrahedron. "


Todas forma material é o reflexo de princípios imateriais e todos os princípios imateriais são coerentes e reflexiva de um modelo, de uma progressão evolucionária. Abaixo está um exemplo.

O gráfico acima é um que você vai reconhecer, a espiral de Fibonacci. Esta forma é existente e evidente em todo Natureza-Cosmos.



Usando a sequência número inteiro - 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144 e assim por diante - de Fibonacci espiral é criada pela tiragem arcos circulares que ligam os cantos opostos de quadrados em a colocação de azulejos Fibonacci.

O "lado a lado" consiste em praças onde os comprimentos laterais são números de Fibonacci sucessivos refletem a seqüência de

Fibonacci.
Esta sequência é baseada em adições numéricos e para o padrão subseqüente coerente que emerge. Através de números, vemos forma, vemos a tendência de expansão-natureza, e vemos significado inteligente embutido no símbolo e forma ao longo Natureza-Cosmos.

1 + 1 = 2, 2 + 1 = 3, 3 + 2 = 5, 5 + 3 = 8, 8 + 5 = 13, etc.
A seqüência de Fibonacci é nomeado após Fibonacci (também conhecido como Leonardo de Pisa). Seu 1202 livro Liber Abaci introduziu a seqüência à matemática da Europa Ocidental, embora a seqüência havia sido descrita anteriormente em matemática indianos.

NÚMEROS
"Se você soubesse a magnificência da 3, 6 e 9, então você teria uma chave para o universo." - Nikola Tesla
Aristóteles, em sua obra   Metaphysica,  diz do entendimento pitagórica dos números:
"Os pitagóricos (foram) ... o primeiro a ocupar a matemática ... (e) pensei que seus princípios eram os princípios de todas as coisas.Uma vez que, destes princípios, números ... são os primeiros, ... em números que parecia ver muitas semelhanças com as coisas que existem ... mais do que [apenas] ar, fogo e terra e água, (mas coisas como) a justiça, a alma, a razão , oportunidade ... "
De acordo com o entendimento de Pitágoras de números (as informações abaixo da Dartmouth.edu), a funcionalidade e significados foram:
1    Mônada. Ponto. A fonte de todos os números. Bom, desejável, essencial, indivisível.
2    Dyad. Line. Diversidade, uma perda da unidade, o número de defeito e excesso. O primeiro número feminina. Dualidade.
3    Triad. Avião. Em virtude da tríade, unidade e diversidade dos quais ele é composto são restauradas para a harmonia. O primeiro número ímpar, masculino.
4    Tetrad. Sólido. A primeira praça feminino. Justiça, firme e quadrado. O número da praça, os elementos, as estações do ano, as idades do homem, fases lunares, virtudes.
5    Pentad. O número casamento masculino, unindo o primeiro número do sexo feminino e masculino o primeiro número por adição.
  • O número de dedos ou dedos em cada membro.
  • O número de sólidos regulares ou poliedros.
Incorruptível: múltiplos de 5 em 5 fim.
6    O primeiro número casamento feminino, unindo 2 e 3 por multiplicação.  A primeira  perfeito  número (One igual à soma de suas partes alíquotas, ou seja, divisores exatas ou fatores, exceto a si mesmo. Assim, (1 + 2 + 3 = 6) .  A área de um triângulo 3-4-5
7    Heptal. A donzela deusa Atena, o número virgem, porque 7 sozinho não tem nem fatores ou produto. Além disso, um círculo não pode ser dividido em sete partes, em qualquer construção conhecida).
8    O primeiro cubo.
9    O primeiro quadrado masculino.  Incorruptível - no entanto, muitas vezes, multiplicado, se reproduz.
10    Década. Número de dedos.  Contém todos os números, porque depois de 10 os números meramente repetir-se.  A soma dos números arquetípicas (1 + 2 + 3 + 4 = 10)
27    O primeiro cubo masculino.
28    Astrològica significativo como o ciclo lunar.  É o segundo número perfeito (1 + 2 + 4 + 7 + 14 = 28).  É também a soma dos primeiros 7 números (1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6 + 7 = 28)!
35    Soma dos primeiros cubos feminino e masculino (8 + 27)
36    Produto de os primeiros números quadrados (4 x 9).  A soma dos três primeiros cubos (1 + 8 + 27).  Soma dos primeiros 8 números (1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6 + 7 + 8)
NÚMEROS figurado 
Os pitagóricos representada por números de padrões de pontos, provavelmente um resultado de arranjar seixos em padrões. Os resultantes  figuras  nos deram os presentes palavra  figuras.
Assim 9 seixos podem ser organizados em 3 linhas com 3 seixos por linha, formando um quadrado.
Da mesma forma, 10 seixos podem ser organizadas em quatro linhas, contendo 1, 2, 3, 4 e seixos por linha, formando um triângulo.
Destes eles derivada relações entre os números. Por exemplo, observando que um número quadrado pode ser subdividido por uma linha diagonal em dois números triangulares, podemos dizer que um número quadrado é sempre a soma de dois números triangulares.
Assim, o número 25 é o quadrado da soma do número triangular 10 e o número 15 triangular.
TETRACYTS SAGRADOS
Um número triangular especial que gostei especialmente foi o número dez. Foi chamado um  Tetractys,  ou seja, um conjunto de quatro coisas, uma palavra atribuído ao matemático e astrônomo grego Theon (c. 100 dC). Os pitagóricos identificou dez tais conjuntos.
Dez conjuntos de quatro coisas
Números1234
Magnitudespontolinhasuperfíciesólido
Elementosfogoaráguaterra
Figuraspirâmideoctaedroicosaedrocubo
Seres vivossementecrescimento em comprimentode larguraem espessura
Sociedadescaraaldeiacidadenação
Faculdadesrazãoconhecimentoopiniãosensação
TemporadasPrimaveraverãooutonoinverno
Idade de uma Pessoainfânciajuventudemaioridadevelhice
Partes de seres vivoscorpotrês partes da alma
 _____________________________________________
O vídeo aqui dá um vislumbre das impressões numéricos subjacentes sistemas vivos. Estes agir para "informar" a vida: em formulário.

Como a implicação mais profunda dos números vem mais em foco, um processo (mental intuitivo) que permite que começa a conversa para se desdobrar ainda mais. Um amigo meu, um cérebro matemático excepcionalmente inovador, começou a mergulhar na idéia de números como símbolos e formas com função distinta e significado fundamental. O início de um diálogo e de viagem. Consulte a sua exploração em tempo real em vídeo aqui. 




FLOR DA VIDA

Este símbolo é conhecido desde a mais remota antiguidade e chama-se "A Flor da Vida".
Na verdade, segundo foi revelado a Drunvalo, o símbolo da Flor da Vida é bem conhecido em todo o universo, menos aqui!

Cada molécula de vida, cada célula em nosso corpo conhece esse padrão. Ele é o padrão da criação e da vida, em todo lugar.

Na verdade, segundo Drunvalo, não há nenhum conhecimento, absolutamente nenhum conhecimento no Universo que não esteja contido neste padrão da Flor da Vida.
Diz-se que grandes mestres concordaram em mais uma vez revelar esta antiga sabedoria, conhecida por Flor da Vida. Ela é um código secreto usado por muitas raças avançadas e por navegantes espaciais.

O código da Flor da Vida contém toda a sabedoria similar ao código genético contido em nosso DNA. Esse código genético vai além das formas comuns de ensinamento e se encontra por trás de toda a estrutura da própria realidade.

Todos os harmônicos da luz, do som e da música se encontram nessa estrutura geométrica, que existe como um padrão holográfico, definindo a forma tanto dos átomos como das galáxias.
Drunvalo inicialmente recebeu a informação de que o símbolo da Flor da Vida se encontrava inscrito nos tetos do Templo de Osíris, em Abidos, no Egito.

Sabemos hoje que o símbolo da Flor da Vida também foi encontrado em Massada (Israel), no Monte Sinai, no Japão, China, Índia e Espanha.



Fonte: http://ocultoreveladoaverdade.blogspot.com.br/2015/09/flor-da-vida-geometria-sagrada.html