Bem Vindos!

Bem Vindos!
UFOLÓGICO / ASTRONÔMICO/ CIENTÍFICO

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

MACHU PICCHU E OLLANTAYTAMBO. ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS?


Na primeira semana de setembro de 2017, estive pessoalmente na cidade de Machu Picchu. As construções são realmente impressionantes. Algumas fotos falam por si só, e apesar de ser uma viagem de férias misturada com pesquisa pessoal, fiz as minhas observações e constatações pessoalmente. Abaixo uma lista delas. 

1 - Machu Picchu (em quíchua Machu Pikchu, "velha montanha"),  também chamada "cidade perdida dos Incas", é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual PeruOs incas encaixavam enormes blocos de pedra sem argamassa, montando os quebra-cabeças. Essa arquitetura é à prova de terremotos: se a terre treme, os blocos dançam, e depois voltam ao lugar original. Como os incas transportavam as rochas das montanhas ainda é um mistério. (fonte: wikipedia)

2 - O Templo do Sol era um observatório astronômico. No solstício de inverno, o Sol nasce exatamente em uma fresta nas montanhas, iluminando a janela do templo. No solstício de verão (dezembro), ele nasce na Porta do Sol, por onde se chega em Machu Picchu ao fazer a famosa Trilha Inca. 

3 - Machu Picchu, segundo os guias locais, tem uma correlação direta com a Constelação do Cruzeiro do Sul.

4 -  Encontrei uma relação direta com a cultura Egípcia, além do óbvio em sua arquitetura, há também um tipo de relação entre o templo de El Condor e Maat. Ambos tem o mesmo significado, tanto para os egípcios como para os incas, Maat e El Condor tinham a função de levar a alma dos mortos para o mundo dos espíritos. Há um templo para El Condor em Machu Picchu e debaixo desse templo uma caverna, e está caverna não é a única. Abaixo uma parte do templo representando as asas do El Condor e logo abaixo, a caverna debaixo do templo. 




4 - Outras entradas de cavernas e as magníficas pedras de vários ângulos. Os arqueólogos tradicionais se esforçam para explicar como essas pedras foram cortadas, porém nenhuma das teorias são convincentes.



5 - A Intihuatana servia para indicar os solstícios e equinócios, a partir de marcações da sombra feitas pelo Sol. Quando ela atingia o ponto máximo, era solstício de inverno (junho). A partir de então, os dias ficavam mais longos, o que servia para organizar os ciclos da agricultura.



Ollantaytambo

Trata-se de um dos complexos arquitetônicos mais monumentais do antigo Império Incaico. Comumente chamado "Fortaleza", devido a seus descomunais muros, foi na realidade um tambo ou cidade-alojamento, localizado estrategicamente para dominar o Vale Sagrado dos IncasO tipo arquitetônico empregado, assim como a qualidade de cada pedra, trabalhada individualmente, fazem de Ollantaytambo uma das obras de arte mais peculiares e surpreendentes que realizaram os antigos peruanos, especialmente o Templo do Sol e seus gigantescos monólitos. Algumas das rochas utilizadas na construção são somente encontradas a alguns quilômetros da cidade, o que revela o domínio de técnicas avançadas de transporte de rochas. (fonte: wikipedia)


1 - Porém, observando a própria montanha onde Ollantaytambo foi construída, se vê claramente que as rochas ali, foram escavadas de forma que parecem ter sido cortadas por uma ferramenta de corte à laser. Dentro dos achados arqueológicos, nenhuma ferramenta encontrada seria capaz de cortar as pedras com tanta precisão. Então, como se explica os cortes nas rochas, se os achados eram totalmente rudimentares, e sendo que até hoje, não é possível fazer tal extração?





Lembrando que a palavra Inca ou Inka, quer dizer filhos do Sol. Os xamãs fazem reverências aos seus antepassados, pois segundo eles, acreditam que seus antepassados vieram do céu. Para eles, todos os mundos tem uma correlação com o mundo de cima (Espaço), curiosamente a mesma relação que era feita pelos antigos egípcios.

Ainda vale lembrar, que todas essas construções foram feitas em lugares muito especial, com ângulos perfeitamente calculados, e em zonas de forte magnetismo terrestre. Não há nenhuma construção arqueológica que não tenha sido cuidadosamente construída aleatoriamente. Todas se encontram em lugares que para alguns seriam chamados de "Sagrados" devido a sua especial posição na Terra.

Texto e fotos: Shirlei Tatsukawa

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

23 SOLDADOS TERIAM SIDO "TRANSFORMADOS EM PEDRA" POR ALIENS, SEGUNDO RELATÓRIO DA CIA.

Em primeiro lugar, este é um documento real da CIA. E sim, diga-nos como 23 soldados foram transformados em pedra por "seres desconhecidos" depois que eles atiraram em um OVNI.

De acordo com o novo relatório, que está disponível para exibição completa no site público da CIA, 23 soldados morreram depois de atirar em um OVNI. Mas este relatório fica ainda mais estranho!
Os soldados que trabalhavam na unidade militar na Sibéria em 1993, estavam cientes de um bizarro veículo em forma de pires voador que se aproximava da sua posição.
Os soldados imediatamente abriram fogo na embarcação com um míssil de superfície a ar que trouxe o prato voador para a Terra. O documento afirma que depois que o objeto voador foi derrubado, as coisas ficaram ainda mais aterradoras:
Cinco seres humanóides com cabeças grandes e grandes olhos negros saíram do ofício depois que ele foi derrubado. Depois disso, os cinco seres pareciam juntar-se em uma bola branca de luz que começou a zumbir e sibilar aos soldados. Após um período de segundos, a bola de luz explodiu. Vinte e três soldados que estavam na proximidade imediata da explosão foram mortos e, curiosamente, segundo o relatório, eles foram "transformados em pedra".
Havia apenas dois sobreviventes do ataque devastador que estavam ambos em uma área sombreada no momento da explosão letal.
REAL OU DESINFORMAÇÃO DA CIA?
O relatório inicial sobre o incidente foi investigado em profundidade por agentes da agência de inteligência soviética, o KGB.
Após o colapso da União Soviética e a desintegração da agência de inteligência na sequência do fim da Guerra Fria e da reconstrução da Rússia, muitos dos antigos arquivos secretos detidos pela KGB encontraram o caminho das mãos dos americanos , incluindo este fascinante dossiê de 250 páginas sobre o ataque UFO na Sibéria.

domingo, 27 de agosto de 2017

AFINAL, QUEM SÃO ELES?


Sem dúvidas, a pergunta que mais incomoda ufólogos de todo o mundo é: afinal, quem são nossos visitantes extraterrestres? Para respondê-la, todos se lançam com dedicação e persistência na investigação de campo e na análise dos dados. Mas há outro questionamento ainda mais importante, que talvez só se vai responder satisfatoriamente após o primeiro: que razões trazem tais visitantes à Terra? Conquista, interesse científico, curiosidade, turismo, contato, reencontro?
A resposta para esta pergunta talvez seja até mais importante do que a anterior — e terá sérias implicações para o futuro da humanidade. Estudiosos da temática em todo o globo se dividem em tendências e correntes de pensamento a respeito de quais seriam as razões que atrairiam os extraterrestres ao nosso planeta.
Alguns defendem ardorosamente a tese de que seriam uma espécie de “irmãos cósmicos”, que estariam vindo à Terra para nos alertar quanto a um cataclismo iminente e prestes a dizimar nossa espécie do mapa universal. Há até quem defenda que estes seres promoveriam uma evacuação do planeta no caso de uma tragédia. Será? Outras correntes acreditam na idéia de que os alienígenas tenham uma essência maligna e que estariam vindo ao nosso mundo apenas para buscar aquilo de que necessitam — células, sangue e até órgãos humanos e de animais.
Os defensores mais radicais dessa hipótese argumentam ainda que as abduções alienígenas, tão abundantes em todo o mundo, são os meios pelos quais os visitantes satisfariam inclusive seu apetite sexual, sem a menor compaixão por nós. Estes são apenas dois exemplos do que perturba o meio ufológico, e é evidente que ambas as ideias são radicais e exageradas.
Mas é alarmante o número de ufólogos que se agarram a elas como se fossem modelos perfeitos para explicar o Fenômeno UFO. Da mesma forma, felizmente, entre um e outro posicionamento existem dezenas de teses que buscam tratar da presença alienígena na Terra de uma forma ponderada e mais responsável.
Algumas levam em questão o básico: nossos visitantes provêm de vários pontos do universo, o que implica, obrigatoriamente, em que tenham objetivos e condutas diferentes entre si e com relação aos seres humanos. Esta definição básica faz toda a diferença. Quem são nossos visitantes e o que querem aqui são indagações que não podem estar submetidas ao problema mais grave da Ufologia — a generalização do tema.
Antes de qualquer coisa, temos que pensar a questão considerando a origem plural dos extraterrestres — e não só material, mas temporal e dimensional também. Desta forma, tratá-los como criaturas angelicais ou intrusos sanguinários não faz muito sentido. Sim, alguns podem de fato ser nossos irmãos cósmicos buscando orientar nossa gente quanto aos problemas que enfrentaremos no futuro.
Assim como outros podem mesmo ser vampiros siderais que se locupletam removendo úteros e cérebros de indefesos seres humanos. Mas o que falta à maioria dos ufólogos é uma visão mais completa, abrangente e panorâmica do que significa estarmos sendo observados por outras espécies cósmicas. Mente aberta às possibilidades, inclusive às improváveis, é essencial para que se compreenda melhor a complexidade do tema.  
SOBRE O AUTOR A. J. Gevaerd é ufólogo brasileiro e editor da Revista UFO, a mais antiga revista sobre discos voadores em todo mundo. É presidente do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), fundador da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) e idealizador da campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”, que resultou na abertura ufológica brasileira. Já participou de mais de 700 investigações de campo e realizou milhares de conferências sobre o tema em todo o Brasil e mais de 50 países. É considerado um dos maiores especialistas do assunto.    
Fonte: The History Channel.
Por JLT

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

O MISTERIOSO CASO DAS MÁSCARAS DE CHUMBO - PROGRAMA LINHA DIRETA.

No dia 17 de agosto de 1966, os técnicos em eletrônica Miguel José Viana, 34 anos, e Manuel Pereira da Cruz, 32 anos, desembarcaram na Rodoviária de Niterói (RJ) no início da tarde. Moradores de Campos, no mesmo estado, os dois - especialistas em instalação de transmissores e repetidores de sinal de televisão - haviam dito à familiares que estavam viajando para São Paulo a fim de comprar um carro e equipamentos eletrônicos. Miguel e Manuel saíram de Campos levando a quantia de dois milhões e trezentos mil cruzeiros (cerca de mil dólares) e fizeram o seguinte percurso: visitaram o dono da loja de eletrônicos Fluscop; compraram as capas de chuva e depois entraram em um bar, nas proximidades do Morro do Vintém, para comprar uma garrafa de água. Miguel e Manoel foram encontrados mortos no alto do morro no dia 18 de agosto. Sem marcas de tiros ou facadas, os dois traziam nas mãos estranhas máscaras de chumbo e o seguinte bilhete cifrado: "16,30hs está no local determinado 18,30hs ingerir cápsula, após efeito proteger metais aguardar sinal máscara". Foi o início de um mistério que persiste até hoje. Os corpos foram resgatados no dia 21 de agosto pelos bombeiros e levados para exame de necrópsia e toxicológico no Instituto Médico Legal de Niterói. O laudo saiu quase dois meses depois indicando causa indeterminada para as mortes. 

A polícia descobriu então que a dona de casa Gracinda Barbosa Coutinho de Souza dirigia seu carro no alto da Avenida Vinte e dois de novembro, em Niterói, no mesmo dia em que os técnicos subiram o Morro do Vintém, e viu um estranho objeto, com luzes azul e laranja, no local. Em Campos, a polícia descobriu que Miguel e Manuel haviam feito diversas experiências espirituais na cidade e estavam lendo livros sobre contatos extraterrestres. O caso ocupou então as manchetes dos jornais e revistas do país. A imprensa divulgou que os dois teriam sido mortos durante contato com extraterrestres e a morte dos técnicos ganhou o interesse dos estudiosos de Ufologia de outros países, como o francês Jacques Vallè. Um detalhe serviu para aumentar o suspense: a maior parte do dinheiro das vítimas desapareceu. Várias hipóteses foram levantadas, desde suicídio involuntário, roubo seguido de assassinato até morte por contato com extraterrestres. Mas a polícia nunca esclareceu o caso, que foi arquivado após três anos e ficou conhecido como "O Mistério das Máscaras de Chumbo". Hoje, m,ais de 38 anos depois, autoridades revelam que, na verdade, o exame toxicológico nunca foi feito porque as vísceras apodreceram no IML de Niterói. As famílias das vítimas nunca conseguiram saber o motivo das mortes e apontam falhas na investigação do caso. 

Até hoje várias perguntas ficaram sem respostas: o que Manuel e Miguel foram fazer no Morro do Vintém? Que tipo de cápsula teriam ingerido? Onde foi parar o dinheiro que levavam? O que teria sido o objeto luminoso visto pela dona de casa sobrevoando o local? O que teria causado a morte dos técnicos em eletrônica?

Assista:


Exibido no Programa Linha Direta Justiça em 24.06.2004. (completo)
Fonte: https://www.youtube.com/user/francisdavis08

A CUNHA DE ALUMÍNIO DE AIUD.


A cunha de alumínio de Aiud, também conhecida como objeto de Aiud, é um objeto em forma de cunha encontrado a 2 quilômetros a leste de Aiud, na Romênia, em 1974. De acordo com um artigo escrito por Boczor Losif, colaborador das revistas paranormais húngaras, foi Encontrado abaixo de 35 pés de areia e ao lado de 2 ossos de mastodonte em 1973.

O exame deste objeto mostrou que era, 20,2 cm de comprimento, 12,5 cm de largura e 7 cm, alto (8x5x3 polegadas aproximadamente) e acendeu um debate dentro da comunidade científica.

Por três razões, alguns afirmam que a cunha é prova de que extraterrestres vieram visitar a Terra no passado:

Um engenheiro aeronáutico sem nome disse que se parecia com o pé do trem de pouso diferente dos veículos espaciais atuais na época, apenas menores. Isso foi corroborado por Florin Gheorghita, conhecido ufologista na Romênia.

Foi encontrado na mesma camada que os ossos de mastodonte e, supondo que fosse encontrado no contexto original, faria pelo menos 11 mil anos de idade.

O alumínio nem sequer foi descoberto até 1808 e não pôde ser produzido em massa até 1885.
Por se assemelhar a um trem de pouso, quando encontrado com ossos de mastodonte e o seu óxido datado de ter pelo menos 300 anos de idade (antes do alumínio na terra), muitos acreditam que se trata de parte de uma nave espacial alienígena.

A maioria dos cientistas acreditam que a cunha foi feita aqui na Terra e seu propósito ainda não foi identificado. Não há muita informação sobre este assunto e a falta de dados pode ser explicada pelas restrições impostas à arqueologia e à história pela regra comunista da época.





Fonte: http://ancientufo.org/2014/06/the-aluminum-wedge-of-aiud/

Egito: evidência da antiga tecnologia de usinagem


A foto acima é um close-up de outro corte de serra óbvio em basalto no platô de Gizé, provando que algum tipo de tecnologia de usinagem antiga era usada nos tempos antigos.

Existem muitas teorias sobre o tipo de pedra que os egípcios antigos fizeram e como eles conseguiram tanto. Mas vamos simplesmente ver estes:




A argamassa surpreendente que as juntas livres das pedras da Grande Pirâmide poderia ter sido conseguida com formões de bronze endurecidas ... mas o grande número de pedras que inicialmente receberam a Grande Pirâmide colocaram essa ideia em dúvida.

Algumas estimativas são que, se essa pirâmide fosse criada em 20 anos, cada um dos 2.300.000 blocos teriam que ter sido extraídos, movidos e colocados no lugar a cada 2 minutos. E isso é muito difícil de se imaginar!

Este tópico fascinante tem sido a vida e o trabalho de Brien Foerster, um autor mundialmente conhecido por suas fascinantes descobertas no Egito. Verifique este fantástico vídeo feito pelo próprio Brien. Não se esqueça de se inscrever em seu canal no Youtube ou comprar seu livro.



Sumérios na América do Sul? A Taça Fuente Magna

Encontrada perto do lago Titicaca em 1958, o Taça Fuente Magna permanece inexplicável e um dos artefatos mais importantes na antiga Teoria dos Astronautas.

Possui personagens antropomórficos lindamente gravados, motivos zoológicos característicos da cultura local e, mais surpreendentemente, dois tipos de scripts - um alfabeto antigo proto-sumério e uma língua local do antigo Pukara, precursor da civilização Tiahuanaco.

Muitas vezes referido como "a Pedra Rosetta das Américas", o vaso de pedra é um dos artefatos mais polêmicos na América do Sul, pois levanta questões sobre se pode haver uma conexão entre os sumérios e os antigos habitantes dos Andes, localizados A milhares de quilômetros de distância.

A tigela Fuente Magna permaneceu armazenada no Museu dos Metais Preciosos (cerca de 40 anos), até dois pesquisadores bolivianos, o argentino Bernardo Biados e o arqueólogo Freddy Arce, buscaram investigar as origens da relíquia misteriosa.

A TRADUÇÃO


Os dois pesquisadores levaram fotos detalhadas da tigela e enviaram-nas para o epigrafista Dr. Clyde Ahmed Winters, na esperança de que ele possa decifrar as inscrições.

As traduções sugerem que a tigela Fuente Magna pode ter sido usada para fazer libações à Deusa Nia para solicitar fertilidade. A figura na Fuente Magna, que parece estar em uma "pose de Deusa", com braços abertos e pernas espalhadas, acredita-se que apoie a tradução do Dr. Winters.



O investigador Yuri Leveratto coloca adequadamente a questão:

"Como é possível que as inscrições proto-sumérias tenham sido encontradas em uma tigela encontrada perto do lago Titicaca, a 3.800 metros [3,8 milhas] acima do nível do mar, a milhares de quilômetros de distância da área onde o povo sumério vivia? "

Por essa altura, nós adivinhamos que você já conhece a resposta 🙂 Quando os estudiosos irão fazer o mesmo?

Fonte: http://ancientufo.org/2017/07/sumerian-fuente-magna-bowl/